31 ANOS JAPERI TODA ESCOLA FECTMAT REFERENCIAL CURRICULAR MUNICIPAL MATRÍCULAS 2023 EM REGINA CELIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CIDADE DE JAPERI Ciência Móvel do Museu da Vida Fiocruz DIA DO PROFESSOR Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência NA RIO GUANDU NOVA BELÉM EM PROF CELITA RODRIGU?S 20 de novembro – Dia da Consciência Negra RASTRO DO RISO HISTÓRIA NEGRA NO BRASIL EM VER PAULO FELIX


ESCRITORAS MIRINS DE JAPERI

ESCRITORAS MIRINS DE JAPERI PARTICIPAM DE MANHÃ DE AUTÓGRAFOS NA ESCOLA MUNICIPAL DARCÍLIO AYRES RAUNHEITTI

A criação da literatura foi incentivada pela alfabetizadora Joana D'Arc, que foi convidada pela secretária de Educação a apresentar o projeto para toda a Rede de Ensino.
Você pode chegar onde você quiser ir”, assim a pequena escritora Ana Júlia, de 7 anos e autora do livro “A Menina que ficou Inteligente” se dirigiu aos seus colegas durante a manhã de autógrafos na Escola Municipal Darcilio Ayres Raunheitti. Com desenvoltura, ela falou às autoridades e aos pais que foram prestigiar o evento. Junto com ela estavam as também escritoras mirins Maria Luiza com seu livro “A Princesa e o Gato” e Heloisa Monção com “A Viagem”. Também foi apresentado o coletivo "Histórias da Turma 201”.

“Eu escrevi a história que minha amiga me conta sempre do gatinho dela. Amei e quero continuar escrevendo outras coisas”, contou Maria. Já Heloísa expressou sua alegria ao falar da viagem imaginária. “No meu livro, eu falo de uma menina que mudou para São Paulo e achava que perderia seus antigos amigos. Ela não perdeu, mas fez novos amiguinhos”, revelou.

Em comum, as três crianças recém alfabetizadas têm pouca idade, criatividade e sonhos, que foram embalados com a vontade e o olhar sensível da professora Joana D’Arc. Ela transformou o que poderia ser uma simples contação de história de criança na produção dos três livros autorais e um coletivo, que reúne os contos e desenhos produzidos pelos pequenos, tudo bem ilustrado demonstrando o imaginário infantil.

Presente na manhã de autógrafos, a Secretária Municipal de Educação, Caroline Ontiveros, quer levar a ideia da criação dos livros para toda a Rede de Ensino. Ela convidou a professora e a diretora Leila Verônica da Silva para apresentarem o projeto. “Saímos de uma pandemia e ver hoje que apesar destes dois anos estudando de forma remota e ver este resultado é gratificante para nós como educadores”, disse a gestora Como tudo começou Joana conta que tudo começou porque tem o hábito de ler para os pequenos, que de forma inteligente, e até intuitivamente, aprenderam ser este o caminho para transformá-los em pequenos escritores.

De acordo com a alfabetizadora, um belo dia, sua aluna Ana Júlia, autora do livro "A menina que ficou inteligente”, chegou e pediu para ler uma história escrita por ela. “Ouvi e fiquei emocionada depois de ela ler para os colegas da turma. E para minha surpresa os demais alunos pediram para escrever também”, contou. “Histórias da Turma 201”.

Link da publicação

https://www.facebook.com/PapoafiadoBaixada